quinta-feira, 4 de março de 2010

Olhos D'água

Desvendo tua alma linda e atormentada
Por teus claros olhos D'água
Desejas ser verdadeiramente amada
Sem defesas,anseios ou mágoas

Amo mirar tua face alva e saber de teus segredos
Todos espelhados em seu rubro véu
Sei como acalmar-te de teus medos
E asilá-la em um pedaço do céu

És pura em sua essência,mas lasciva em suas ações
Apodera-se de nossas almas e enlouquece nossos corações
Aos toques de meus dedos vejo que respondes

O que ainda não perguntei , mas sei que me entendes
Peço que este instante não se esvaia
E que nunca minha vida em vosso desamor caia.





2 comentários:

Anônimo disse...

Um poema lindo e muito meigo...adorei!

Letícia Vieira da Costa disse...

Muito sensível e doce...